Submeter Texto

 

Verificação

ORIENTAÇÕES PARA OS COLABORADORES

(Submissão de artigos)

 

  1. Artigos recebidos
  2. A revista Itinerarium aceita propostas de trabalhos ou artigos inéditos que se insiram na sua orientação editorial.
  3. Os artigos devem ser apresentados, de preferência, em português. Mas podem ser submetidos ainda numa destas línguas: inglês, espanhol, alemão, francês, italiano. Os textos escritos em português devem ser redigidos segundo aortografia do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990.
  4. Extensão máxima dos textos: a) Artigos/estudos, com o máximo de 60.000 carateres, incluindo espaços e as notas; b) O artigo deve ser acompanhado de um Sumário, com a extensão máxima de 700 carateres, incluindo espaços.
  5. Os artigos submetidos devem incluir um título, e ser acompanhados de 5 palavras-chave (keywords). Em caso de uso de fotogramas, cabe ao autor garantir a salvaguarda legal das imagens utilizadas no texto.
  6. O autor deve ser identificado pelos seguintes elementos: nome, filiação institucional. Poderá ainda fornecer, facultativamente, o contacto que melhor lhe convier.
  7. O texto deverá ter formato Word (.doc ou .docx) e ser enviado, acompanhado de um ficheiro PDF, para itinerarium@ofm.org.pt ou para o seguinte endereço: Revista Itinerarium, Largo da Luz, nº 11, 1600-498 – Lisboa.
  8. O envio de um artigo para a revista Itinerarium implica: a) que o texto nunca foi publicado em suporte papel ou digital; b) que o texto não foi nem será enviado a outra revista enquanto estiver em processo de avaliação ou revisão; c) que o autor cede à revista a autorização de publicar e dispor do artigo para o respetivo repositório.
  9. Aos autores dos textos publicados será cedida, sempre que pedida, a versão PDF dos mesmos. Poderá, desde então, dispor como bem entender do seu artigo, tendo permissão para publicar e distribuir o seu trabalho online (em repositórios institucionais ou em páginas e perfis pessoais).
  10. Os artigos propostos serão submetidos à apreciação de dois membros do Conselho Científico, e, no caso de pareceres antagónicos, serão submetidos a um terceiro. A Direção poderá: aprovar a publicação do artigo sem alterações; aprovar a publicação do artigo desde que lhe sejam introduzidas as alterações sugeridas pelos revisores; ou recusar a publicação do artigo.
  11. Em conformidade, a redação dará uma resposta ao autor no prazo de 3 meses. Os originais recebidos não serão devolvidos.
  12. A responsabilidade dos conteúdos publicados é da exclusiva responsabilidade dos respetivos autores.
  13. Revisão de provas: Antes da publicação, serão enviadas aos autores, por e-mail, as provas dos artigos, em maquete, com vista às últimas correções. Não serão, contudo, permitidas alterações significativas à estrutura e dimensão do texto. As referidas correções serão transmitidas pelos autores à Revista no prazo fixado pela Redação. Decorrido o prazo estabelecido, não serão consideradas quaisquer outras alterações aos artigos.
  14. Os autores receberão gratuitamente 4 exemplares do volume em que o seu contributo é publicado. No caso de recensões, o autor receberá um volume.

Normas de estilo
Os textos propostos podem seguir uma das opções:
Seguir o Manual de Estilo Chicago (The Chicago Manual Style);
Ou
Seguir estas orientações:
a) Usar aspas (“ “), para as citações ou para uma particular identificação de um determinado sintagma – o itálico deve reservar-se para as expressões oriundas de uma língua diferente daquela em que o artigo está redigido. Dentro dos colchetes, se necessário, pode fazer-se uso das aspas altas.
b) As notas devem ser inseridas em rodapé com numeração progressiva e ser completas, exatas e apresentadas num tipo menor. É de evitar a bibliografia no final do artigo.
c) A primeira vez que um espécime bibliográfico for referido ou citado, deverá conter todos os seus elementos identificadores. Quando se tratar de uma obra ou artigo já identificado, deve recorrer-se ao método do título abreviado.
d) Não usar itálico nas abreviaturas (op., loc., cit., cf., ibid.)
e) Não se abreviam os nomes dos periódicos.
Livro de um só autor:
Jeremy AHEARNE, Michel de Certeau: Interpretation and its Other (Key Contemporary Thinkers), Cambridge: Polity Press – Oxford: Blackwell Publishers, 1995.
Michel de CERTEAU, L’Invention du quotidien: 1. Arts de faire, Paris: Gallimard, 1980.
Livro de vários autores:
John SWINTON – Harriet MOWAT, Practical Theology and Qualitative Research, London: SCM Press, 2009.
Obra coletiva com coordenação:
Peter L. BERGER (ed.), The Desecularization of the World: Resurgent Religion and World Politics, Grand Rapids: Eerdmans, 1999.
Gilles ROUTHIER – Marcel VIAU (dir.), Précis de théologie pratique, Bruxelles: Lumen Vitae – Montréal: Novalis – Paris: L’Atelier, 2007.
Manuel Braga da CRUZ – Natália Correia GUEDES (org.), A Igreja e a cultura contemporânea em Portugal, 1950-2000, Lisboa: Universidade Católica Editora, 2000.
Estudo em obra coletiva ou enciclopédia:
Raymond LEMIEUX, «Foi et religion: une lecture sémiologique», in Michel DESPLAND – Gerard VALLÉE (ed.), Religion in History: the Word, the Idea, the Reality, Waterloo: Wilfred Laurier University Press, 1992, 169-191.
António Matos FERREIRA, «Catolicismo (movimento católico e Fátima)», in Carlos A. Moreira AZEVEDO – Luciano CRISTINO (org.), Enciclopédia de Fátima, Estoril: Princípia, 2007, 87-98.
Artigo em revista:
Joaquim Carreira das NEVES, «Ecumenismo e Escritura», Itinerarium 53 (1966) 375-394.
Yves LABBÉ, «La Parole-Icône incréée: Essai de théologie trinitaire selon l’ordre du langage», Revue des Sciences Philosophiques et Théologiques 68: 3 (1984) 321-352.
Publicação de uma instituição ou autoridade:
CONSELHO PONTIFÍCIO JUSTIÇA E PAZ, Compêndio da Doutrina Social da Igreja, Cascais: Principia, 2005.
IOANNES PAULUS PP. II, Adhortatio apostólica de familiae christianae muneribus in mundo huius temporis «Familiaris consortio» (22 mensis Novembris 1982), in AAS (1982) 73-112.
Acta synodalia sacrosancti concilii oecumenici Vaticani II, Città del Vaticano: Typis polyglottis Vaticanis, 1970.
Obras e autores clássicos e patrísticos:
Para os autores gregos devem seguir-se as abreviaturas do dicionário de Lidell-Scott-Jones, A greek-English Lexicon. Para os autores latinos, usem-se as abreviaturas do Oxford Latin Dictionary.
Para os autores patrísticos, devem usar-se as abreviaturas do Dizionario Patristico e di Antichità Cristiane.
Na referência bibliográfica devem constar os seguintes elementos:
MARCO AURÉLIO, Pensamentos, VII,48 (Les Belles Lettres, Paris 1953, 76).
SANTO AGOSTINHO, De Civitate Dei, V,21 (Bibliothèque Augustinienne,33, 690).
Estudo em website:
Greg HERRICK, Paul and Civil Obedience in Romans 13:1-7, [URL] <http://www.bible.org> [22.02.2015].